Palavra do Pároco

FÉ, DOM O COMPROMISSO

 

 

Queridos irmãos e irmãs, vivemos tempos difíceis. No entanto, somos interpelados pelo Apóstolo Paulo com a seguinte citação: “Assim, pois, justificados pela fé, estamos em paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo. Por ele tivemos acesso, pela fé, a esta graça na qual estamos firmes e nos gloriamos, na esperança da glória de Deus. E não só isso, pois nos gloriamos também de nossas tribulações, sabendo que a tribulação gera a perseverança, a perseverança leva a uma virtude comprovada, e a virtude comprovada desabrocha em esperança. Ora, a esperança não decepciona, porque o amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado”. (Rm 5,1-5).


Com este texto queremos destacar que a fé é uma iniciativa de Deus para conosco. É Ele que se faz próximo do ser humano e abre para todos a possibilidade da vida nova. Segundo Paulo, Deus se manifesta pela graça. Assim, se compreende à Igreja como canal das graças divinas. Ela não é a fonte da graça, mas o meio pelo qual o Pai, pelo Filho na ação do Espirito escolheu para transmitir ao mundo seu projeto de salvação. Essa eleição é um convite a nós de nos inserir na economia da salvação. Desse modo, nossa fé, como dom, nos conduz ao compromisso.


E com quem nos comprometemos? Pela nossa fé com Jesus: “Então disse-lhes: ‘Ide pelo mundo inteiro e proclamai o Evangelho a toda criatura! ’”. (Mc 16,15). Esta frase nos compromete a não sermos egoístas ao ponto de achar que somente nós temos o direito a graça da salvação. Por isso o Senhor quis ser Igreja. Ela é no mundo sacramento de vida eterna. E ele nos confiou essa missão de zelar por este bem que é oferecido a humanidade. Por isso todos nós, cristãos católicos, somos os responsáveis pela Igreja.


Como vivemos esse nosso compromisso? Em primeiro lugar assumindo nossa vocação batismal no testemunho de fé e vida. Em seguida, a luz do Espirito Santo, descobrir a nossa vocação especifica diante das várias possibilidades e serviços eclesiais. No entanto, devemos nos conscientizar que a Igreja é um dom de amor para a humanidade e sua manutenção é responsabilidade nossa. Ela não recebe subsídios estatais. Cabe a nós sua manutenção e sustento das obras que ela realiza no seu testemunho do Cristo Bom Pastor que dá a vida pelas ovelhas.


Com isso, a coordenação de pastoral vem exortar a cada pessoa que nas suas possibilidades continuem a colaborar com seu dízimo em sua comunidade para que ela continue a exercer essa missão tão importante nesse momento de levar a Palavra de vida e esperança a um mundo assolado por esta pandemia.


Outra tarefa importante, que nos foi confiada pelo nosso Santo Padre, o Papa Francisco, é de que neste mês de maio nos dediquemos ainda mais a rezar o terço. É um meio de ao meditarmos os mistérios da vida de Jesus associado ao sim de Maria nos aproximarmos de nossa fé. Assim devemos medita-la como verdadeiro Dom de amor e compromisso eclesial. Pois em Maria temos um ser humano que se abriu ao Divino que faz maravilhas, pois olhou a condição humilde de sua serva (Lc 1,48). Nós somos esses humildes servos que necessitamos da graça do Espírito Santo para nos capacitar no cuidar do outro e oferecer ao Mundo Jesus, o Bendito Fruto do ventre de Maria.


Iremos terminar esse mês com a festa de Pentecostes. Nesta festa celebramos o nascimento da Igreja e os dons derramados sobre todos para que nossa missão seja sempre guiada pela vontade de Deus. O Espírito é dom. Por isso não pode ser privatizado, mas acolhido como presente para todos aqueles que buscam viver a fé como verdadeiro Dom e Compromisso. Este nos é dado para anunciarmos as maravilhas de Deus na linguagem em que o Mundo possa acreditar e ser salvo.


Deus é a fonte da graça e a Igreja é o sacramento deste presente oferecido a todos. O que cada um faz com esta oferta divina é responsabilidade pessoal. Mas só podemos viver este dom em comunidade.


Peçamos a intercessão de Nossa Senhora, ícone de discípula e discípulo de fé comprometida com o Pai pelo Filho na força do Espírito Santo. AMEM!


 

 

Com as bêçãos divinas,

Pe. Ricardo Barbosa.

Queridos irmãos e irmãs, vivemos tempos difíceis. No entanto, somos interpelados pelo Apóstolo Paulo com a seguinte citação: [...]
Segunda, 19h e Sexta-feira, às 08h..
Quarta-feira (missa da graça), às 19h.
Domingo, às 6h30m, 8h e 19h.
Copyright 2011-2013 © Paróquia São Francsico de Assis, Nova Iguaçu/RJ - Todos os direitos reservados