Palavra do Pároco

Maria, mãe de Deus e nossa Mãe

 

Este mês de maio é tradicionalmente um mês mariano. Essa tradição está vinculada a fé popular da poderosa intercessão de Maria. Por isso, neste mês em que nossas comunidades propõem a reza do terço, vamos nos orientar para os aspectos devocionais a Santíssima Mãe. As ideias apresentadas tomam como base o texto da revista Vida Pastoral do mês maio/junho de 2018, número 321, páginas 3-10.


A devoção mariana ganhou impulso, sobretudo, depois do Concilio de Éfeso (O Primeiro Concílio de Éfeso foi realizado em 431 na Igreja de Maria em Éfeso, na Ásia Menor. Neste Concílio foi proclamado o dogma que declara verdade de fé que Maria é Mãe de Deus. Maria recebeu o nome de “Theotokos”, palavra grega que diz exatamente “Mãe de Deus”, e foi julgado insuficiente o título de “Christotokos”, ou seja, “Mãe de Cristo”). Assim o povo entendeu a imagem de Maria sempre unida a seu Filho e a sua intercessão na Igreja.


Pensar Maria sempre unida a seu Filho é entendê-la no seu papel materno-messiânico, encontrado nos evangelhos e na proclamação conciliar de Éfeso em 431. Ela é toda relativa a Jesus, mostrando como o “caminho, a verdade e a vida” (Jo 14,6). Não se deve, porém, a partir desta compreensão, viver um culto paralelo à liturgia, muitas vezes mesclado por superstições. É entender Maria como ícone da Igreja em oração. Neste aspecto, a devoção mariana mergulha no Mistério de Deus, na comunhão dos Santos e permanece unida a toda a Igreja de Jesus em oração e afeto.


A interseção de Maria desperta em nós o impulso de repensar algumas questões que o cenário teológico atual retoma com renovado interesse. Qual o papel do Espirito Santo na oração?


Compreende-se que é o Espirito nos une na oração em diferentes tempos e lugares. Assim, Ele se torna o laço de Amor que une Deus a humanidade. Podemos dizer que pela mediação do Espirito é que todos nós rezamos. Sem essa inspiração nossa oração seria um gemido calado no peito, e não um lançar-se no mistério de Deus, vinculado a fraternidade eclesial.


Por isso devemos compreender Maria unida ao Espirito Santo. Deste modo ela recebe nossos pedidos de oração e reza conosco.


Um bom mês mariano a todos nós e contemos com as orações de Maria, a Mãe de Deus e nossa, em sua solidariedade com nossa condição e sua intercessão diária em nossas lutas por justiça e paz.


Nossa senhora, rogai por nós para que sejamos dignos das promessas de Cristo! Amém!

 

Com as bêçãos divinas,

Pe. Ricardo Barbosa.

Este mês de maio é tradicionalmente um mês mariano. Essa tradição está vinculada a fé popular da poderosa intercessão de Maria.

Segunda, 19h e Sexta-feira, às 08h.
Quarta-feira (missa da graça), às 19h.
Domingo, às 6h30m, 8h e 19h.
Copyright 2011-2013 © Paróquia São Francsico de Assis, Nova Iguaçu/RJ - Todos os direitos reservados